sábado, 31 de dezembro de 2011

pavê de chocolate com conhaque e figos

Apesar de comer poucos doces, tenho que confessar: esse é de repetir a dose sem enjoar! Uma pessoa querida, sempre fazia esse doce no natal, mas como não nos vemos mais nessa data, ela me deu a receita. E foi assim, que fiz de sobremesa no dia 24 de dezembro, esse pavê, que ganhou elogios muito legais como: "quase como Bethoven", "divino", "tesão" e muitos "huuuumms"...

Aqui vai a receita que também é muito boa para sobremesa de ano novo:

1 lata de Creme de Leite 
1 tablete de chocolate meio amargo picado de 200 grs.
1/2 xícara de (chá) licor de cacau
1/2 xicara de (chá) conhaque
1 pacote de biscoito de maizena
1 lata de figo em calda (picado)

Aqueça o creme de leite em banho maria, junte o chocolate picado e mexa até dissolver completamente.
Forre uma forma retangular com papel aluminio (+ ou - 25x 16cm). Misture em uma vasilha o licor com o conhaque e umedeça as bolachas conforme for usando. Coloque uma camada de bolacha, uma de creme e outra de figo e assim sucessivamente. Leve para a geladeira de véspera. Desenforme em uma bandeja, retire o papel alumínio, cubra com o restante do chocolate e decore como quiser.






Minhas observações:

-Não levei para a geladeira de véspera, então deixei cerca de 1 hora no congelador e deu certo.
-Ao invés de papel alumínio usei papel manteiga, pois ele não deixa pedacinhos na hora de desenformar.
-Usei duas barras de chocolate com 130 gramas cada e usei uma lata de creme de leite mais uma caixinha daquelas pequenas pois eu queria mais creme de chocolate. Deixei um pouco do chocolate para decorar.
- Como só tinha conhaque, usei ele com a calda do figo no lugar do licor de cacau. Coloquei a olho, pois não queria que o gosto de bebida desaparecesse e também não queria muito forte, então vai de cada um achar seu ponto. Juro que não é nem um pouco sacrificante provar! 
- Importante: procure deixar uns 30 segundos cada bolacha, ela não pode ficar nem muito seca, nem molhada demais.

 E por falar em chocolate, esta semana assisti um filminho delicioso no cinema, fica a dica pra vocês:


Um feliz 2012 para todos! 


terça-feira, 27 de dezembro de 2011

berinjela recheada

Poxa vida já cozinhei tanta coisa, fotografei vários quitutes e necas de tempo pra postar as coisas aqui. Vou começar a recuperar o tempo perdido mostrando a minha berinjela recheada. Esse prato é mais uma "receita do que tem". Usei a criatividade pra fazer esse prato com os ingredientes que tinha em casa e ficou bem gostoso! 
Primeiro corta-se a berinjela ao meio como um barquinho, tira-se o miolo com a ajuda de uma colher, rega-se com azeite e shoyu e leva-se ao forno coberta com papel alumínio até ficar macia. Enquanto ela assa, pega-se o miolo, pica-se bem picadinho e tempera-se a gosto. Usei na minha: cebola, sal, azeite, um dente de alho, pimentão, tomate, salsa, pimenta moída na hora, noz moscada ralada, passas, 2 colheres de sopa de flocos de quinua (pode usar pão amanhecido no lugar). Fiz um refogadão com esses ingredientes, depois coloquei esse refogado de volta nas berinjelas e levei mais um pouco ao forno com um fio de azeite e queijo ralado até dourar. Uma berinjela grande rendeu duas porções:




Humm, tá me dando fome!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

o pão australiano e a máquina de pão

Uma das grandes maravilhas da tecnologia, para mim, é a máquina de fazer pão. Pois se eu tivesse que sovar uma massa na base do muque, tava perdida. Acho que o pão ía ficar uma sola! Mas felizmente inventaram esta maravilha que sova o pão e, se você desejar, ainda assa ele pra você. Bem, creio que a maioria já sabe dos benefícios desse troço moderno. E o que eu acho legal é que já tem muita receita, circulando por aí, com as quantidades adaptadas para fazer o pão na máquina. E foi assim que eu tava com vontade de comer o pão australiano e achei esta receita: Outback style bread  
Aqui vai a foto do meu pão, que ficou bem gostoso com manteiga:


O único porém é que deixei tempo demais no forno,  ela sugere 35 a 40 minutos, mas eu acho que, dependendo do forno, 30 minutos são suficientes. Outra coisa, moldar 4 pãezinhos, ao invés de 6, é o ideal pra quem gosta de mais miolo, que é o meu caso.
Cheiro de pão pela casa é tão bom, uma coisa tão simples que dá uma felicidade e tanto :)

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

hamburguer vegetariano com creme de milho

Já falei que sou louca por hamburguers? Pois bem, sou louca por eles! Especialmente os da Neny, cozinheira de mão cheia do restaurante Eden que citei neste post aqui. E agora a Neny está vendendo seus maravilhosos hamburguers pra gente levar pra casa e comer no jantar.

Pra quem não tem a Neny por perto, vale fazer essa receita que é ótima: Garden Burguer (hamburguer de lentilha)

Já o creme de milho, peguei uma receita tradicional, adaptei e ficou assim:


- 1 lata de milho verde
- 1 xícara de leite de soja sem sabor (cuidado com os que tem sabor de baunilha, estes não servem para cozinhar salgados)
- 3 colheres de sopa de farinha
- 2 colheres de sopa de margarina
- sal a gosto e pimenta do reino moída (ou mix de pimentas)

Bati 2/3 do milho com a água da lata no liquidificador, acrescentei uma xícara de leite de soja e bati mais um pouco, depois, numa panela, coloquei as duas colheres de sopa de margarina para derreter e misturei a farinha de trigo.  Assim que a farinha estiver bem misturada com a margarina, coloca-se devagar a mistura do liquidificador, para não fazer bolinhas,  mexendo sempre. Para finalizar o creme, basta temperar com sal e pimenta a gosto e colocar o restante dos milhos inteiros para decorar.



Esse hamburguer vai muito bem com uma coisa que eu chamo de legumada. Legumes em camadas, com azeite, sal e ervas frescas, cozidos abafados em panela comum. Usei chuchu, batata, abobrinha, pimentão e cebola, tudo em rodelas. Depois que os legumes estão macios, costumo colocar queijo ralado por cima e tampar a panela, já com o fogo desligado, deixando apenas tempo suficiente para derreter o queijo. Isso é muito fácil de fazer e é um ótimo acompanhamento. 



Bom, é isso aí, bom final de semana! 

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

cuzcuz marroquino

Adoro coisas fáceis, vegetarianas e que podem ser comidas sem acompanhamento. Perfeito para o jantar, que deve ser mais levinho e prático. 
E o cuscuz marroquino é esse tipo de coisa. Fácil, você faz com aquilo que tem, é bem saboroso e saudável.
Basta seguir a instrução da embalagem para hidratar o cuscuz, que é esse aqui (ache na sessão de importados do supermercado):






Prepare uma medida de cuscuz conforme as instruções.
Enquanto ele hidrata, você refoga com azeite e sal, cubos de legumes como: berinjela, abobrinha, cebola, pimentão, tomate, etc. Eu costumo deixar dar aquela tostadinha nos legumes ao refogar. Depois é só misturar os legumes refogados e tostados com o cuscuz hidratado, temperar com mais azeite, salsinha picadinha, azeitonas, aquele mix de pimentas moídas na hora e pronto!
Essa receita serviu quatro pessoas, com direito a repeteco.


Tem gente que coloca também nozes, castanhas picadinhas e passas :)
Sendo assim, acho que esse prato pode ser uma opção boa para se fazer no lugar da tradicional farofa no natal.  Fica a dica para uma ceia saudável. E um prato bem bonito :)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

minestrone vegetariano

Estou começando a achar que daqui a pouco vai nevar no natal! Aqui em Sampa está tudo muito esquisito... Eu que adoro vestidos leves, terei que me conformar em usá-los só em uma curta temporada, que sabe-se lá quando irá começar...
Com isso, a temporada de sopas se estende! 
Outro dia, vi no blog Come-se, uma minestra muito apetitosa (exceto pelo pedaço de carne). Fui então ver o que tinha na geladeira e fiz minha adaptação. Não sou muito fã de seguir receitas à risca, gosto de me inspirar com elas e usar os ingredientes que tenho.
Aqui eu tinha aproximadamente 1/2 dúzia de folhas de couve orgânica (sem piolhos, que fique claro), um punhado de ervilhas secas partidas, um punhado de ervilhas frescas congeladas, cenourinhas orgânicas, um tomate, cebola, pimentão e macarrão conchilione.
Fiz um refogado com os ingredientes, exceto a couve e o macarrão. Cobri com água e deixei cozinhar cerca de 10 minutos na pressão. Depois, abri a panela e coloquei a couve, o macarrão, sal e azeite e deixei cozinhar mais um pouco. Ficou uma delícia de se comer com pão fresquinho.



terça-feira, 22 de novembro de 2011

pasta de alcaparras

Outro dia, na casa da minha amiga Shar, ela fez um molho de salada muito bom. Era alcaparra batida no liquidificador com azeite. Ontem fiz uma pasta de alcaparra, com azeite também, só que grosseiramente batida, deixei uns pedacinhos maiores e usei pra colocar no sanduíche. Ficou bem bom! 





Acho que essa pasta também dá pra colocar em cima do hamburguer de soja pra dar um charme na hora de servir e deixar ele mais molhadinho... 

Sobre as alcaparras:
"O princípio ativo mais importante da alcaparra é o ácido cáprico, que possui uma ação estimulante do apetite além de auxiliar a digestão. Pessoas hipertensas devem consumí-las com moderação, por ser conservada no sal."

E tem mais: alguém sabia que a alcaparra é uma flor?

Pois é, lá nesse site tem muitas informações legais:


Bom, é isso aí, se alguém tiver receitas vegetarianas com alcaparras, manda pra mim :)

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

o meu "quase moussaka" vegetariano

Depois de uma semana de muito trabalho, seguida de fim de semana de mais trabalho e compromissos diversos, é muito bom poder arranjar um tempinho, pra contar sobre a minha experiência culinária da quinta feira passada.
É a receita do que tem. E lá em casa tinha berinjela e batata. Olhei para os ingredientes e lembrei do moussaka vegetariano do restaurante Athenas, que eu adoro. Então resolvi tentar algo parecido.
O moussaka verdadeiro, que é um prato grego, leva uma camada de carne moída, que eu poderia ter substituído por proteína de soja, mas resolvi de deixar esse ingrediente de fora.
Cortei uma berinjela média em cubos, refoguei com sal, alho espremido, azeite, pimenta e coloquei-a no fundo do refratário.

 Depois, cortei duas batatas médias, no cortador de batata chips (onde quase sempre ralo meus dedos). Coloquei-as por um a dois minutos em água fervendo com um pouco de sal e escorri bem. Coloquei as batatas em cima da berinjela e ralei um pouco daquele mix de pimentas em cima.





Fiz um molho branco básico, com manteiga, cebola ralada, farinha de trigo, leite (que pode ser leite de soja sem sabor), temperei com sal, pimenta do reino branca e noz moscada. Coloquei o molho em cima das batatas e ralei um pedaço de queijo, que achei na geladeira, por cima. 
Mandei pro forno, médio pra alto, pois estava com pressa...


Bom, como eu disse, estava com pressa. Já era tarde da noite, então tirei o primeiro do forno assim, sem gratinar totalmente.


Mas depois de mais alguns minutinhos, eis que surge o último refratário, gratinado como deve ser. Gente, que delícia estava esse!


Fazendo com uma berinjela média e duas batatas médias, rendeu três refratários desses redondinhos.

Fica simpático e gostoso pra servir de entrada num jantarzinho informal.


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

batata assada como tantas batatas assadas, mas...

...essa batata tem um cheiro delicioso que é impossível resistir. Foi a minha amiga Paloma, que não entende muito de cozinha, mas aprendeu a fazer essa batata  (com algum cozinheiro da TV) e tratou de me ensinar.
Quando tira-se aquele papel alumínio de cima, o cheiro bom que vem é inexplicável! Eu acho que o alho, levemente amassado com casca, solta um aroma todo diferente. E aí combinado com o alecrim, fica essa coisa.

A receita é:
Coloque as batatas cruas numa assadeira, regue com azeite, sal a gosto, alecrim, coloque entre elas uns alhos amassados com casca e tudo. Pode-se colocar também uns pedacinhos de manteiga aqui e ali. A receita é essa, mas eu acrescentei essas cenourinhas orgânicas, tomates, tomilho fresco e pimenta moída na hora. Basta cobrir com papel alumínio e assar em forno médio. Depois que estiverem macias ao espetar o garfo, tirar o papel alumínio e deixar mais um pouco no forno para dourar.
Tá aí, super fácil e muito saboroso! Aqui eu não usei a manteiga, quis fazer um prato vegano (sem ingredientes animais).





Bon apettit e um lindo final de semana!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

segunda sem carne :)

Estava dando uma olhadinha no blog Cantinho Vegetariano (que tem ótimas receitas) e descobri que a Prefeitura de São Paulo, está em uma parceria com a Secretaria do meio Ambiente, com a Sociedade Vegetariana Brasileira e vários restaurantes para promover a campanha Segunda sem carne.
Achei a iniciativa bem bacana e gostaria de compartilhar o site oficial, onde é possível encontrar um guia de restaurantes que aderiram à campanha: www.segundasemcarne.com.br


sexta-feira, 21 de outubro de 2011

dica de menu vegetariano para o fim de semana

Moqueca de palmito pupunha

Se existe um prato que eu adoro comer e fazer é este: moqueca de palmito pupunha. O cheirinho que se espalha pela casa é uma delícia e o resultado final, nem se fala! Pode ser feito com palmito pupunha in natura ou em conserva (neste caso, diminuir o sal da receita).

Aqui eu peguei uma receita de moqueca tradicional, mas no lugar do peixe, coloquei rodelas grossas de batata e de palmito. Na minha moqueca não pode faltar: pimentão verde, vermelho e amarelo, cebola, tomate, batata, palmito, coentro, azeite de dendê, azeite de oliva e leite de côco.

Montei camadas dos ingredientes vegetais em rodelas, colocando um pouquinho de sal e coentro entre uma camada e outra. Depois reguei tudo com azeite de oliva, um pouco de dendê e leite de côco. Tampei a panela e meia hora depois estava pronta e com um cheiro delicioso! Humm!

Só me falta agora, uma bela panela de cerâmica pra poder levar a moqueca à mesa com o charme que este prato coloridíssimo merece!

Com arroz branquinho fresquinho e uma boa farofa, fica perfeito. Esta farofa eu fiz com manteiga, cenoura ralada, milho verde e salsinha. Ficou bem molhadinha e saborosa.




E para a sobremesa, minha dica é uma boa torta de ricota. Peguei uma receita tradicional e fiz algumas modificações. A receita ficou assim:

Torta de ricota com passas

1 ricota de aprox. 500 gramas
1 lata de leite condensado
3 ovos
400 ml de leite de soja sem sabor
1 colher de sopa de margarina
2 colheres de sopa de amido de milho
um punhado de passas brancas ou damasco picadinho
2 colheres de sopa de açúcar orgânico

Bater tudo no liquidificador, exceto as uvas passas. Colocar em refratário untado com margarina e salpicar as uvas passas ou a fruta que desejar. Levar ao forno já quente em temperatura média até dourar.



Um ótimo final de semana a todos! ;)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

pirão de banana com farinha de mandioca (sem glúten)

Essa é uma receitinha que aprendi, do tipo que se passa pra frente no boca a boca, conversando, enfim, simples e uma delícia! Não tem segredo, muito fácil de fazer e perfeita pro café da manhã.

Ingredientes:

- aprox. meia colher (sopa) de margarina
- 1 banana nanica
- aprox. meia colher (sopa) de requeijão (opcional)
- farinha de mandioca torrada
- frigideira anti-aderente

Refogar a banana picadinha com a margarina e quando ela estiver começando a desmanchar, colocar o requeijão (ou pedacinhos de queijo). Dar uma rápida mexida, juntar a  farinha de mandioca torrada até dar ponto. Ela tem que ficar meio úmida, mas não muito mole. Em seguida, prensar a massinha com uma colher contra a frigideira para formar uma espécie de panqueca, deixando dar uma leve tostada dos dois lados.
Posso até sentir o cheirinho que fica pela casa, humm, água na boca!





Bom, a receita é essa, muito fácil e deliciosa, se fizer me conta?


sábado, 1 de outubro de 2011

torta fácil de liquidificador sem ovos

Fiz essa receita AQUI, do site Chubby vegan e adorei. Esta foi a segunda vez. Usei aquilo que tinha na geladeira para fazer o recheio: milho, cebola picadinha e cenoura ralada levemente refogados na manteiga. Ficou uma delicia! Essa receita rende uma torta pequena, pra uma forma de uns 20 cm de diâmetro, mais ou menos. 



Ps. sempre que faço torta salgada, coloco gergelim por cima, sobre a massa ainda crua. Fica bem bom!

Bon apettit !

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

o melhor vegetariano de Sampa

Podem dizer o que quiserem, pra mim, o melhor vegetariano de Sampa é um pequenino restaurante que fica no bairro da Saúde. Na esquina da Av Jabaquara com a Rua Pereira Estéfano, dentro de uma antiga galeria. O Eden é restaurante e loja de produtos naturais. Quem comanda a cozinha é a Neny e o atendimento é por conta da Sofia, da Maria e do Jura, marido da Neny. Na loja restaurante, há ainda quadros e artesanatos lindos que a Neny também faz. Tudo que ela toca, fica mágico. As comidinhas são uma delícia, o tempero é bem caseiro, pouco sal, arroz integral e cada dia um tipo de grão. Quem prova, vicia em comer lá. E depois a gente faz amizade, junta as mesas com as pessoas, troca idéias, uma coisa surreal no meio dessa loucura de São Paulo. Sabe quando a gente pede "aquele suco de sempre"? Pois é, tudo já é pra lá de entendido e feito na medida do freguês. Mas o Jura costuma dizer que eles não têm simples clientes, quase todo mundo que passa por lá vira amigo. E olha aí um dos pratos da Neny, não é de dar água na boca? Bom, sou altamente suspeita pra falar qualquer coisa que seja! 


Nesse dia o menu era: salada verde com macarrão, batatinha e maçã, arroz integral vermelho, lentilhas e tortinha de cenoura. E o famoso suco que o Jura batizou de "larajú" (laranja com cajú) e que eu amo! Esse suco é bem rico em vitamina C e ajuda o organismo a absorver o ferro da refeição. Perfeita combinação para pessoas que tendem a ter anemia.
Só não pode comer sobremesa com lactose depois da refeição, a lactose mata toda a absorção de ferro.  Depois descobri que a maioria dos vegetarianos adota essa dica pra não ter anemia. Lactose, só duas horas depois da refeição. E quanto menos lactose na vida, melhor (pra nós e pras pobres vaquinhas). Muuuuuuuuuuuuuuú!

Um ótimo final de semana!

Restaurante Eden - Esquina da Rua Pereira Estéfano com a Av Jabaquara, dentro da galeria. Fone: (11) 2578-4981

segunda-feira, 18 de julho de 2011

como promover a amizade entre cão e gato?


Ontem a Rita se viu frente a frente, pela primeira vez, com a Capitu e Tarsila. Virou uma gata arrepiada até a alma. Elas foram dar aquela farejada, mas rolou uma escapada pela lateral, Rita fugiu e foi deitar lá no quarto. Minha irmã disse que dificilmente ficarão amigas ao ponto de brincarem, mas acho que dá pra conseguir que parem de correr pela casa feito Tom e Jerry...
Estou deixando que se vejam um pouquinho cada dia, sem forçar a barra, se alguém tiver alguma dica, estou aceitando!
Dá um pouco de trabalho essa coisa toda, por isso muita gente não adota bichinhos adultos, mas existem muitos bichos precisando e nem todos são filhotes. Por isso, se quisermos ajudar um animal já adulto a ter um lar, é preciso ter muita paciência. E adotar é tudo de bom, sou voluntária da Cidinha e posso dizer que tenho visto alguns finais bem felizes pra cachorrada que encaminhamos pra adoção. É muito satisfatório ver que as pessoas estão deixando de lado essa mentalidade de comprar e passando a adotar. Ter um bicho vira lata é tudo de bom, eles são únicos, não há dois vira latas iguais! :)

quinta-feira, 30 de junho de 2011

ervilhas com ovos escalfados, prato gostoso e rápido :)

Se existe um prato que eu adoro e faço rapidinho e todo mundo que passa lá em casa come e gosta, é esse: ervilhas frescas com ovos escalfados e arroz branquinho pra acompanhar. Minha mãe sempre fez esse prato, só que ela colocava bacon. Como sou ovo-lacto-vegetariana, tiro o bacon. Todo mundo na família sempre gostou e vários amigos já pediram a receita. Vira e mexe tô eu ensinando alguém a fazer.
Deixemos de bla bla blá e vejamos se consigo explicar (faço tudo a olho):

Ingredientes:

- 1 pacote de ervilhas frescas congeladas
- 1 punhado de ervilhas tortas (se tiver)
- 1 colher de sopa de extrato de tomate (não obrigatório)
- 4 ovos
- 1 cebola média
- curry, páprica, açafrão
- 2 dentes de alho
- salsinha
- água fervendo
- sal

Refogue a cebola e o alho com um fio de azeite. Coloque as ervilhas tortas e as congeladas já lavadas para retirar o excesso de gelo. Cubra com água fervendo, adicione o extrato de tomate, o curry e os outros temperos a gosto e deixe ferver até as ervilhas ficarem macias. Se necessário vá adicionando mais água quente. Quando as ervilhas estiverem cozidas, faça covinhas e coloque os ovos com cuidado. Costumo quebrar um a um numa tigelinha e colocar sal antes de colocar nas covinhas. Espere cozinhar os ovos, salpique salsinha fresca por cima e desligue o fogo. Servir com arroz branco. Fica simples e delicioso.

Nesta foto, servi com saladinha e arroz integral. E o bolinho que aparece é de batata doce, receita da Claudia do site Menu Vegano. Não sei se está lá, mas é mais ou menos assim:

É só cozinhar a batata-doce no vapor, depois descasca, amassa, mistura com cebola picada, pimenta-do-reino branca, sal, azeite, salsa e uma colher de farinha de aveia. Faz as bolinhas, passa no gergelim e leva para assar numa assadeira anti-aderente (forno baixo).



Esse bolinho da foto, tirei do forno antes da hora, os demais ficaram devidamente corados.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

nova moradora


Hoje vim aqui pra contar que tem uma nova moradora lá em casa! É a Rita, em homenagem a nossa rainha do rock nacional Rita Lee! Ela Não é linda? A Rita foi achada por uma moça, estava no telhado de uma fábrica com seus filhotes e, segundo a veterinária disse, queriam matar os filhotes espantar a gata de lá... Então ela foi parar na clínica da querida Dra Iara. Os filhotes desmamaram, foram vacinados, foram castrados e doados. Mas a mãezinha, por ser adulta estava ficando lá esquecida, ninguém a queria. E era um miado só dentro da gaiola, uma solidão de dar dó. Então, agora ela está lá em casa! 

quinta-feira, 17 de março de 2011

risoto de berinjela e abóbrinhas recheadas com ricota defumada

Fiz este jantarzinho dia desses e ficou uma delícia. Foi tudo na base do "olhometro" mas, como uma moça me pediu a receita, acabei escrevendo.

Risoto de berinjela

-duas berinjelas médias em cubinhos
-dois tomates em cubos sem semente
-uma cebola
-uma folha de louro
-um raminho de salsa ou manjericão (o que preferir)
-dois copos americanos de arroz
-4 copos de água
-um pouco de açafrão e mostarda moída (opcional)

Refogue as berinjelas, os tomates, a cebola com um pouco de azeite. Acrescente o arroz lavado, o sal, a água. Coloque a folha de louro o ramo de salsa ou manjericão inteiro e os demais temperos. Deixe cozinhar até quase secar toda água (deixar um pouco úmido). Pode acrescentar queijo minas ralado se quiser na hora de servir.

Abobrinhas recheadas com ricota defumada

-duas abobrinhas
-dois dentes de alho
-azeite
-um pedaço de ricota defumada (mais ou menos umas 150 g a 200 g)
-salsinha e outras ervas a gosto (usei ervas finas)
-meia xícara de extrato de tomate (aquele básico, sem sal)

Retire o miolo das abobrinhas e pique. Fritar dois dentes de alho no azeite, refogar o miolo de abobrinha picado, acrescentar a ricota defumada já passada no processador. Colocar o extrato de tomate, a salsa e as demais ervas. Misturar bem e desligar. Rechear as abobrinhas, polvilhar um pouco de queijo ralado por cima, levar ao forno em forma untada até dourar.

ps. não coloquei sal pois a ricota defumada já é temperada e apimentada. Se não gostar de pimenta, usar a ricota normal só que aí coloca-se sal.

dica: você pode usar tomates pelados daqueles de latinha no arroz e o caldinho que vem na latinha já serve para umedecer a ricota.


Bom apetite e se fizer, me conta!

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Eu tenho uma cristaleira!

Há muito tempo venho querendo uma cristaleira. Pois bem, depois de meses sem escrever aqui, passadas muitas coisas, muita correria e tal, chega ontem em casa a minha cristaleira tão sonhada. É dos anos 50, foi restaurada, mas encontra-se original. Não é linda?
A foto não está lá essas coisas, mas logo mais ponho foto da sala toda, com ela lá, lindona no seu lugar.