sábado, 31 de dezembro de 2011

pavê de chocolate com conhaque e figos

Apesar de comer poucos doces, tenho que confessar: esse é de repetir a dose sem enjoar! Uma pessoa querida, sempre fazia esse doce no natal, mas como não nos vemos mais nessa data, ela me deu a receita. E foi assim, que fiz de sobremesa no dia 24 de dezembro, esse pavê, que ganhou elogios muito legais como: "quase como Bethoven", "divino", "tesão" e muitos "huuuumms"...

Aqui vai a receita que também é muito boa para sobremesa de ano novo:

1 lata de Creme de Leite 
1 tablete de chocolate meio amargo picado de 200 grs.
1/2 xícara de (chá) licor de cacau
1/2 xicara de (chá) conhaque
1 pacote de biscoito de maizena
1 lata de figo em calda (picado)

Aqueça o creme de leite em banho maria, junte o chocolate picado e mexa até dissolver completamente.
Forre uma forma retangular com papel aluminio (+ ou - 25x 16cm). Misture em uma vasilha o licor com o conhaque e umedeça as bolachas conforme for usando. Coloque uma camada de bolacha, uma de creme e outra de figo e assim sucessivamente. Leve para a geladeira de véspera. Desenforme em uma bandeja, retire o papel alumínio, cubra com o restante do chocolate e decore como quiser.






Minhas observações:

-Não levei para a geladeira de véspera, então deixei cerca de 1 hora no congelador e deu certo.
-Ao invés de papel alumínio usei papel manteiga, pois ele não deixa pedacinhos na hora de desenformar.
-Usei duas barras de chocolate com 130 gramas cada e usei uma lata de creme de leite mais uma caixinha daquelas pequenas pois eu queria mais creme de chocolate. Deixei um pouco do chocolate para decorar.
- Como só tinha conhaque, usei ele com a calda do figo no lugar do licor de cacau. Coloquei a olho, pois não queria que o gosto de bebida desaparecesse e também não queria muito forte, então vai de cada um achar seu ponto. Juro que não é nem um pouco sacrificante provar! 
- Importante: procure deixar uns 30 segundos cada bolacha, ela não pode ficar nem muito seca, nem molhada demais.

 E por falar em chocolate, esta semana assisti um filminho delicioso no cinema, fica a dica pra vocês:


Um feliz 2012 para todos! 


terça-feira, 27 de dezembro de 2011

berinjela recheada

Poxa vida já cozinhei tanta coisa, fotografei vários quitutes e necas de tempo pra postar as coisas aqui. Vou começar a recuperar o tempo perdido mostrando a minha berinjela recheada. Esse prato é mais uma "receita do que tem". Usei a criatividade pra fazer esse prato com os ingredientes que tinha em casa e ficou bem gostoso! 
Primeiro corta-se a berinjela ao meio como um barquinho, tira-se o miolo com a ajuda de uma colher, rega-se com azeite e shoyu e leva-se ao forno coberta com papel alumínio até ficar macia. Enquanto ela assa, pega-se o miolo, pica-se bem picadinho e tempera-se a gosto. Usei na minha: cebola, sal, azeite, um dente de alho, pimentão, tomate, salsa, pimenta moída na hora, noz moscada ralada, passas, 2 colheres de sopa de flocos de quinua (pode usar pão amanhecido no lugar). Fiz um refogadão com esses ingredientes, depois coloquei esse refogado de volta nas berinjelas e levei mais um pouco ao forno com um fio de azeite e queijo ralado até dourar. Uma berinjela grande rendeu duas porções:




Humm, tá me dando fome!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

o pão australiano e a máquina de pão

Uma das grandes maravilhas da tecnologia, para mim, é a máquina de fazer pão. Pois se eu tivesse que sovar uma massa na base do muque, tava perdida. Acho que o pão ía ficar uma sola! Mas felizmente inventaram esta maravilha que sova o pão e, se você desejar, ainda assa ele pra você. Bem, creio que a maioria já sabe dos benefícios desse troço moderno. E o que eu acho legal é que já tem muita receita, circulando por aí, com as quantidades adaptadas para fazer o pão na máquina. E foi assim que eu tava com vontade de comer o pão australiano e achei esta receita: Outback style bread  
Aqui vai a foto do meu pão, que ficou bem gostoso com manteiga:


O único porém é que deixei tempo demais no forno,  ela sugere 35 a 40 minutos, mas eu acho que, dependendo do forno, 30 minutos são suficientes. Outra coisa, moldar 4 pãezinhos, ao invés de 6, é o ideal pra quem gosta de mais miolo, que é o meu caso.
Cheiro de pão pela casa é tão bom, uma coisa tão simples que dá uma felicidade e tanto :)

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

hamburguer vegetariano com creme de milho

Já falei que sou louca por hamburguers? Pois bem, sou louca por eles! Especialmente os da Neny, cozinheira de mão cheia do restaurante Eden que citei neste post aqui. E agora a Neny está vendendo seus maravilhosos hamburguers pra gente levar pra casa e comer no jantar.

Pra quem não tem a Neny por perto, vale fazer essa receita que é ótima: Garden Burguer (hamburguer de lentilha)

Já o creme de milho, peguei uma receita tradicional, adaptei e ficou assim:


- 1 lata de milho verde
- 1 xícara de leite de soja sem sabor (cuidado com os que tem sabor de baunilha, estes não servem para cozinhar salgados)
- 3 colheres de sopa de farinha
- 2 colheres de sopa de margarina
- sal a gosto e pimenta do reino moída (ou mix de pimentas)

Bati 2/3 do milho com a água da lata no liquidificador, acrescentei uma xícara de leite de soja e bati mais um pouco, depois, numa panela, coloquei as duas colheres de sopa de margarina para derreter e misturei a farinha de trigo.  Assim que a farinha estiver bem misturada com a margarina, coloca-se devagar a mistura do liquidificador, para não fazer bolinhas,  mexendo sempre. Para finalizar o creme, basta temperar com sal e pimenta a gosto e colocar o restante dos milhos inteiros para decorar.



Esse hamburguer vai muito bem com uma coisa que eu chamo de legumada. Legumes em camadas, com azeite, sal e ervas frescas, cozidos abafados em panela comum. Usei chuchu, batata, abobrinha, pimentão e cebola, tudo em rodelas. Depois que os legumes estão macios, costumo colocar queijo ralado por cima e tampar a panela, já com o fogo desligado, deixando apenas tempo suficiente para derreter o queijo. Isso é muito fácil de fazer e é um ótimo acompanhamento. 



Bom, é isso aí, bom final de semana! 

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

cuzcuz marroquino

Adoro coisas fáceis, vegetarianas e que podem ser comidas sem acompanhamento. Perfeito para o jantar, que deve ser mais levinho e prático. 
E o cuscuz marroquino é esse tipo de coisa. Fácil, você faz com aquilo que tem, é bem saboroso e saudável.
Basta seguir a instrução da embalagem para hidratar o cuscuz, que é esse aqui (ache na sessão de importados do supermercado):






Prepare uma medida de cuscuz conforme as instruções.
Enquanto ele hidrata, você refoga com azeite e sal, cubos de legumes como: berinjela, abobrinha, cebola, pimentão, tomate, etc. Eu costumo deixar dar aquela tostadinha nos legumes ao refogar. Depois é só misturar os legumes refogados e tostados com o cuscuz hidratado, temperar com mais azeite, salsinha picadinha, azeitonas, aquele mix de pimentas moídas na hora e pronto!
Essa receita serviu quatro pessoas, com direito a repeteco.


Tem gente que coloca também nozes, castanhas picadinhas e passas :)
Sendo assim, acho que esse prato pode ser uma opção boa para se fazer no lugar da tradicional farofa no natal.  Fica a dica para uma ceia saudável. E um prato bem bonito :)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

minestrone vegetariano

Estou começando a achar que daqui a pouco vai nevar no natal! Aqui em Sampa está tudo muito esquisito... Eu que adoro vestidos leves, terei que me conformar em usá-los só em uma curta temporada, que sabe-se lá quando irá começar...
Com isso, a temporada de sopas se estende! 
Outro dia, vi no blog Come-se, uma minestra muito apetitosa (exceto pelo pedaço de carne). Fui então ver o que tinha na geladeira e fiz minha adaptação. Não sou muito fã de seguir receitas à risca, gosto de me inspirar com elas e usar os ingredientes que tenho.
Aqui eu tinha aproximadamente 1/2 dúzia de folhas de couve orgânica (sem piolhos, que fique claro), um punhado de ervilhas secas partidas, um punhado de ervilhas frescas congeladas, cenourinhas orgânicas, um tomate, cebola, pimentão e macarrão conchilione.
Fiz um refogado com os ingredientes, exceto a couve e o macarrão. Cobri com água e deixei cozinhar cerca de 10 minutos na pressão. Depois, abri a panela e coloquei a couve, o macarrão, sal e azeite e deixei cozinhar mais um pouco. Ficou uma delícia de se comer com pão fresquinho.