quinta-feira, 30 de agosto de 2012

bolo de chocolate com nozes

Esse bolo é uma adaptação de um bolo de chocolate da minha mãe, receita bem antiga. Eu apenas tirei os ovos, coisa que não fez diferença alguma. E acrescentei nozes, damascos, maçã... Impossível não fazer modificações. 
A massa desse bolo assando, tem cheiro de Caetano Veloso cantando em inglês, mexer na maquiagem da irmã mais velha, rádio antigo tocando Leo Jaime, infância nos anos 80.
Acho incrível essa capacidade que os cheiros e sabores tem, de transportar as pessoas pelo tempo, lugares e lembranças. 

Para fazer este bolo super prático, que só usa uma tigela, uma colher e uma assadeira, você vai precisar:

1 xícara de chá de açúcar
1 1/2 xícara de chá de farinha
1/2 xícara de chá de chocolate em pó (achocolatado serve mas não fica tão bom)
1/2 colher de sopa de fermento em pó
1 pitada de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
1/2 xícara de chá de óleo
1 xícara de chá de água fervente
1 xícara de chá rasa de nozes picadas

Misture bem todos os ingredientes secos, acrescente o óleo e em seguida a água, aos poucos, misturando bem.  Por último acrescente as nozes, misture mais um pouco e leve ao forno em assadeira de bolo inglês untada com margarina e farinha. Forno pré aquecido, médio, por aproximadamente 30 minutos ou até espetar o palito e sair seco. Rende 3 a 4 porções de guloso :)


Dicas:
- para fazer o bolo numa assadeira retangular convencional (aprox. 35 x 22 cm) basta dobrar a receita.
- além de nozes, pode-se acrescentar maçã em cubinhos, damasco e noz moscada a gosto, fica uma ótima combinação.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

arroz de tomate

Esse arroz é uma coisa tão simples e tããoo gostosa! É um prato comum na família, mas a tia que fazia bem feito mesmo, o melhor arroz de tomate, me deu a dica. Infelizmente ela se foi, um pouco cedo por sinal.
Aqui vai a receita de uma quantidade pequenina, suficiente apenas para duas pessoas jantarem.

Ingredientes:

- 2 tomates maduros, sem sementes, picados em cubos
- 1 cebola pequena picada em cubinhos
- 1 folha de louro pequena
- 1 raminho de salsa
- sal a gosto
- azeite a gosto
- 1 xícara de chá rasa de arroz branco comum
- 3 a 4 xícaras de chá de água

Frite a  cebola no azeite, logo acrescente o tomate, o arroz lavado, o sal e misture bem. Coloque a água já morna ou quente e as ervas*, primeiro coloque 3 xícaras, se sentir que não cozinhou suficiente, coloque mais um pouco.
Deixe que fique cozido mas bem molhadinho, "malandrinho", como diria a tia E. Quando estiver para desligar, coloque mais um fio de azeite e misture delicadamente. Servir de imediato.


* o raminho de salsa pode ser colocado inteiro e retirado no final, junto com a folha de louro.
Obs: se os tomates não estiverem bem maduros, coloque duas colheres de sopa de um bom extrato de tomate na água do arroz ;)

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

cuzcuz paulista

Mesmo quem não é lá muito fã de cuscuz de milho, pode se render a um bom cuscuz paulista.
Segundo o que aprendi, originalmente, esse prato consiste em apenas farinha de milho cozida no vapor, para ser servido em fatias com manteiga ou leite.
Mas existe essa variação, toda incrementada do cuscuz, carinhosamente chamado de Paulista. E eu fiz uma versão dele, com toque indiano: usando Ghee (manteiga clarificada) e Garam massala

No meu cuscuz usei:

- 1 cebola roxa pequena
- 3 tomates pelados com um pouco do caldo
- 3 tomates secos picados
- um punhado de milho congelado
- um punhado de ervilha congelada
- 1 xícara de palmito picado
- salsa e coentro a gosto
- sal a gosto
- pimenta vermelha em pó (aprox. meia colher café)
- garam massala (aprox meia colher chá)
- meia colher de sopa de ghee ou duas colheres de sopa de azeite
- 1 xícara de milharina
- aproximadamente 750 ml de água fervente

Primeiro ferva o milho e a ervilha congelada com um pouco de sal, escorra e reserve. Dou preferência a estes congelados por não possuirem excesso de sal e nem conservantes, como os grãos em lata. E ainda, no caso da ervilha, o sabor da congelada ganha consideravelmente da ervilha em lata. 
Numa panela grande, comece refogando a cebola com ghee ou azeite, depois acrescente os tomates pelados e o seco picadinhos, o palmito, o milho, a ervilha e os demais temperos. Vá adicionando água a este refogado para não deixar queimar. Prove o sal do refogado e comece a acrescentar a milharina devagar, mexendo sempre para não empelotar. Conforme for secando, vá adicionando água aos poucos, alternando com a milharina, até colocá-la toda e obter uma massa de aspecto cremoso e macio. Coloque em forma ou forminhas como estas que usei, de cupcake. No fundo da forminha pode-se colocar tomatinhos, pimentão em rodelas, cebolas grelhadas, ou o que a imaginação mandar para enfeitar o cuscuz.
Dentro de 10 minutos já é possível desenformar. Rendimento: 6 forminhas.



Como sou louca por pimenta, servi o meu com molho de pimenta caseiro.

O garam massala deu um sabor muito agradável ao cuscuz, vale a pena ter esse mix de temperos em casa ;)

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

brusquetas de tomate e queijo

Pra quem tem esta coisa maravilhosa que é a máquina de pão (eu sempre acabo falando dela assim, não tem jeito!) e não sabe o que fazer com o pão que sobrou, eis aqui uma dica muito fácil e deliciosa. Perfeita para os dias em que se tem preguiça de preparar jantar. E assim a gente não fica comendo aquele pão por dias e dias...

Para a brusqueta você irá precisar:
- fatias de pão integral ou branco
- tomates sem sementes picados em cubos
- queijo mussarela ralado grosso ou vegarela (mussarela vegetal)
- folhas de manjericão ou orégano (pref. folhas frescas)
- azeite

Basta dispor os ingredientes em uma assadeira na ordem acima e assar até que o queijo derreta e o pão fique crocante (aprox. 20 ou 25 min). Servir com mais azeite por cima.





Aliás, falando em brusquetas, sempre lembro da imagem deliciosa do filme Julie & Julia, onde a Julie faz umas brusquetas com tomates em cima, sem queijo, uma cara ótima! Na brusqueta que ela faz, tem tomates de cores variadas e  o jeito que ela frita o pão na frigideira é muito apetitoso...
Enfim, acho esse filme bem bacana, mas algumas coisas nele me incomodam, como o momento que ela mata as lagostas.
De qualquer forma, toda blogueira-cozinheira (ou sería cozinheira-blogueira?) certamente deve se identificar um pouco com ele.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

cozinhando com laranjinhas kinkan

Todo ano, na época da laranjinha kinkan, ganho um cesto delas do meu irmão. Na primeira vez, procurei na net o que fazer com elas e descobri essa maravilhosa geleia no blog Come-se.



Receita da geleia retirada do blog Come-se:

Chimia de kinkan ou geléia de kinkan da Mariângela (com algumas pequenas modificações - preferi picar a kinkan em vez de triturar, por exemplo)

350 g de kinkan
1,5 xícara de água
150 g de açúcar
Lave bem as laranjinhas, tire a parte do cabinho e corte em quatro. Tire as sementes e embale-as numa trouxinha de pano. Pique com uma faca a polpa. Coloque a laranjinha picada, as sementes e a água numa panela de aço inoxidável. Cozinhe até ficar macia (cerca de 10 minutos). Tire a trouxinha. Junte o açúcar e deixe cozinhar, mexendo de vez em quando, até ficar cremosa.
Sirva com torradas, pão indiano ou o que a imaginação mandar.


E com algumas kinkan que sobraram inventei de fazer esse chá. Ficou simplesmente delicioso!

Chá para duas pessoas:

- 2 canecas bem cheias de água
- 5 kinkan em rodelas finas
- 1 fatia fina de gengibre
- 1 canela em pau

Levar todos os ingredientes ao fogo e deixar ferver por 3 minutos aproximadamente (preferência em chaleira com tampa).

E além de gostoso fica bonito! Caso tire os carocinhos da laranja como eu fiz, nem precisa coar, pode deixar umas rodelinhas na xícara para decorar.

E graças a esta safra de laranjinha kinkan e meu novo brinquedo (uma Canon EOS 1100D) o blog acaba de ganhar cara nova ;)

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

assado de abóbora e palmito gratinado

No último domingo, estava com um cesto enorme de laranjinhas kinkan pra descaroçar e fazer geléia. Eis que pensei em fazer algo rápido. Como no sábado fui até a Praça Benedito Calixto e comprei um molho pesto artesanal, a ideia inicial era macarrão com molho pesto, que é bem rápido, saladinha de tomate tipo "carpacio" e alguma coisa com meia abóbora japonesa e um palmito in natura que estava na geladeira...

Preparo dos legumes (abóbora e palmito):
Pra começar, cortei cerca de metade da metade da abóbora em cubos, salpiquei sal e azeite temperado com ervas (coisa que sobrou de uma conserva de berinjela e é ótimo para cozinhar) e levei ao forno coberta com papel alumínio até ficar macia (uns 25 minutos). Enquanto isso, cozinhei na pressão um pedaço de palmito pupunha in natura que ganhei, piquei e coloquei sobre a "caminha" de abóbora já assada. Temperei com mais azeite, ervas, pimenta moída na hora, uma pitada de garam masala (tempero indiano) e cobri com molho branco.

Para fazer o molho branco, usei:
- aprox. 1/2 litro de "leite" de soja sem sabor
- duas colheres de sopa de farinha de trigo
- meia cebola picada bem miúdo
- duas colheres de sopa rasas de manteiga
- sal, pimenta do reino e noz moscada moída na hora

Derreta a manteiga, acrescente a farinha, mexendo bem até formar um creme. Vá colocando o "leite" de soja aos poucos, incorporando-o a esse creme, mexendo sempre para não empelotar. Quando estiver com aspecto cremoso e uniforme, desligue o fogo e tempere com sal, pimentas e noz moscada moída na hora (faz bastante diferença ser na hora).
Coloque sobre os legumes pré-assados e temperados. Leve ao forno para gratinar.

Neste caso, tinha um restinho de queijo parmesão ralado e coloquei por cima para dar esse aspecto dourado e a casquinha ficar levemente salgada. Mas pode-se usar vegarela no lugar.

Esta ideia pode ser feita com vários tipos de legumes. Basta assá-los previamente com azeite, sal e ervas a gosto e depois retirar o papel alumínio e colocar o molho branco, que pode ser vegetal e ser delicioso. Inclusive, não lembrei disso no dia, mas acho que ficaria ótimo aromatizar o "leite" de soja com louro e cebola, como no molho Bechamel tradicional. ;)






terça-feira, 7 de agosto de 2012

doce de banana assada com farofa de nozes

Já que estou na onda dos doces leves, lá venho eu com mais uma dica simples e gostosa. Vi num livro de receitas antigo, algo parecido, só que com muito mais farinha e açúcar, devería ficar tipo uma torta. Foi então que resolvi fazer esta versão:

- banana suficiente para duas camadas
- um punhado de nozes bem picadinhas
- 2 colheres de sopa rasas de açúcar
- 1 colher de sopa de farinha de trigo (ou mandioca crua)
- 1 colher de chá de canela em pó
- 1/2 vidro de leite de côco

Para estes 4 refratários pequenos, usei 5 bananas médias cortadas em rodelas.
Unte o fundo de cada refratário com creme vegetal. Depois, forre com uma camada de bananas. Com os ingredientes secos, faça uma farofa doce, misturando-os bem. Coloque uma camada da farofa sobre as bananas e, por cima dessa farofa, mais uma camada de bananas, depois mais uma de farofa. Ou seja: duas camadas de bananas duas de farofa. Regue com leite de côco e leve ao forno pré aquecido em temperatura média. Fica bom servido quente ou frio.