quinta-feira, 26 de setembro de 2013

bolinho de couve - receita de duas cancerianas

Essa foi uma experiência em dupla com a C., nos nossos primeiros dias morando juntas  
O resultado foi delicioso!

Ingredientes:

1 e 1/2 copo de farinha de trigo
1 copo de leite
1 ovo
1 colher de café rasa de sal
1 colher de café de açúcar
1 colher de café de masala (tempero indiano) ou outro tempero a gosto
*1 punhado de couve refogada com alho, azeite e sal a gosto* 

Bater todos os ingredientes da massa, menos a couve*, no liquidificador. A parte, refogar a couve com sal, alho e azeite a gosto. Juntar a couve refogada e bater rapidamente na opção pulsar, de modo que fiquem uns pedacinhos bem pequenos da couve na massa. 
Deixar descansar alguns minutos até que as bolhas de ar saiam da massa. Colocar pequenas conchinhas de massa para fritar em óleo bem quente e servir em seguida.




Assim, esta casa passa a ser a casa de duas cancerianas e ganha mais um filhote canino, a pequena Peteca:




quinta-feira, 19 de setembro de 2013

tofu grelhado com gengibre e shoyu

Inspirado em um tofu que andei comendo, em um restaurante japonês tradicional, resolvi fazer este tofu aqui. Os ingredientes são os mesmos, só que eles servem o tofu frio mesmo, com o gengibre ralado em cima, a cebolinha e o shoyu. Resolvi então, grelhar o tofu. Aliás descobri que tem gente que até frita ele em cubinhos e fica lindo! Mas essa é uma outra etapa, depois que eu aprender a não quebrar ele todo...

Para fazer este tofu você irá precisar de:

-fatias de tofu fresco 
-cebolinha a gosto
-gengibre ralado a gosto
-shoyu
-óleo de gergelim


Modo de fazer:

Untar uma chapa ou frigideira antiaderente com gotinhas de óleo de gergelim. Eu usei a panquequeira, que é mais reta e ajuda a não quebrar o tofu. Escorrer bem a água do tofu (usei uma peneira), cortá-lo delicadamente em fatias grossas com uma espátula e dispor sobre a chapa. Ralar gengibre fresco por cima, colocar shoyu a gosto e ligar o fogo. Assim que o lado de baixo estiver tostado e tiver criado uma casquinha, você pode virar o tofu com a espátula, delicadamente. Tostado o outro lado, é só servir com cebolinha fresca picadinha por cima e, se desejar, pode colocar mais um pouquinho de shoyu.


Aqui eu servi o tofu com arroz branco, salada de broto de alfafa e vagem picante (inspirada naquela acelga picante coreana: kimchi).




segunda-feira, 16 de setembro de 2013

pudim de pão com conhaque

Muita gente tem preconceito de pudim de pão.  Pois eu adoro essa receita que achei num livro super antigo do SESI, desses pra gente que não sabe cozinhar nada, com todas as receitas básicas tradicionais. Uma delícia de livro. 

Mas como eu não sei seguir receita a risca, fiz algumas modificações, como o conhaque por exemplo. Bom, ela ficou assim:


Ingredientes

-3 pães amanhecidos picados grosseiramente com as mãos
-1 e 1/2 copo de leite desnatado
-1 colher de sopa de margarina derretida
-2 ovos
-1 copo de açúcar
-damascos picadinhos, ameixa seca sem caroço ou passas a gosto
-1 cálice pequeno de conhaque
-canela para polvilhar

Primeiro, coloque a fruta que você escolheu de molho no conhaque e reserve. Em seguida, em um recipiente tipo bowl, coloque o pão picado de molho no leite. Misture. Acrescente os ovos, a margarina derretida, o açúcar e misture bem. Por último acrescente o conhaque com as frutas, misture e coloque em fôrma de buraco no meio, untada apenas com margarina. Leve ao forno médio em banho maria até dourar.

Isso mesmo, esta receita não vai ao liquidificador, o pão fica quase todo desfeito quando bem misturado aos ingredientes líquidos. 

Na hora de servir, você pode polvilhar um pouco de canela e açúcar, fica bonito e gostoso.




segunda-feira, 9 de setembro de 2013

tomates e pimentas cambuci recheados com queijo árabe

Sabe aquele queijinho árabe redondinho, conhecido como chancliche ou shanklish? Aqui perto de casa, costumo encontrar duas versões dele: a com ervas e a com pimenta. 
Faz um tempo já, tinha um queijinho desses com ervas na geladeira e resolvi fazer o teste: usar como recheio de pimenta cambuci ou tomate, no caso, os dois. Minha inspiração foram umas pimentas recheadas que comi no vegetariano indiano Gopala Hari. Só que as de lá eles usam brócolis e algum queijo cremoso que não consegui identificar.

Para fazer este delicioso acompanhamento você irá precisar:
- 5 tomates sem o miolo
- 6 pimentas cambuci sem as sementes e o cabinho (ou pode usar só tomates, ou só pimentas)
- azeite
- sal a gosto
- chancliche com ervas (1 unidade dá e deve sobrar)
- parmesão ou gergelim moído para enfeitar

O modo de fazer é muito fácil, não requer segredo algum. Basta retirar os miolos dos tomates e das pimentas, colocar um pouquinho de sal e azeite dentro, colocar o queijo chancliche amassadinho com garfo, depois colocar por cima parmesão ou azeite e gergelim moído. Levar ao forno até os tomates estejam assados e o queijo levemente gratinado. Servir com um arroz gostoso e uma boa saladinha.



Obs: o chancliche já é bastante temperado com ervas ou bastante apimentado (no caso do com pimenta). Portanto, cuidado ao colocar mais tempero. Optei só pelo sal e azeite por esta razão ;)

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

tempo de laranjinha kinkan

E a geléia de laranjinha kinkan está virando tradição da família... o irmão traz o cesto de laranjinhas lá da terrinha dele e a gente faz a geléia!

Já publiquei antes a receita aqui no blog que é a seguite:

Receita da geléia adaptada do blog Come-se:

Chimia de kinkan ou geléia de kinkan da Mariângela (com algumas pequenas modificações - preferi picar a kinkan em vez de triturar, por exemplo)

350 g de kinkan
1,5 xícara de água
150 g de açúcar
Lave bem as laranjinhas, tire a parte do cabinho e corte em quatro. Tire as sementes e embale-as numa trouxinha de pano. Pique com uma faca a polpa. Coloque a laranjinha picada, as sementes e a água numa panela de aço inoxidável. Cozinhe até ficar macia (cerca de 10 minutos). Tire a trouxinha. Junte o açúcar e deixe cozinhar, mexendo de vez em quando, até ficar cremosa. Sirva com torradas, pão indiano ou o que a imaginação mandar.


Rende: Cerca de meio quilo.


Obs. escaldar os potes de vidro com água fervendo e virá-los sobre um pano limpo antes de colocar a geleia, mata as bactérias e faz com que a geleia dure mais.


Mana, carinhosamente "Nega" fazendo geleia comigo


E aqui eu, mais uma vez. Desta vez, rendeu nove potes rapidamente distribuídos entre queridos.



Vale lembrar que, havendo paciência, pode-se tirar aquele fio branco amargo que tem no meio da laranjinha. Fizemos este ano e ficou melhor do que nunca.

Essa geleia pode ser servida como geleia mesmo, com torradas, biscoitos, bolos no café da manhã, ou como um chutney para acompanhar algum prato salgado como as deliciosas samosas indianas ou ainda canapés com queijo brie, por exemplo.