quinta-feira, 14 de agosto de 2014

homenagem à Capitu

Ontem perdemos a Capitu.

Ela foi uma cã muito feliz. Ela correu atrás das moscas, mordeu abelhas (teve reação alérgica por isso), mordeu abelhas de novo. Ralhou com os outros cães da casa, brigou com todo mundo por causa de comida, brigava com os outros quando eles estavam comendo a parede, ganhou o apelido de xerife. Tentou muitas vezes trucidar a Peteca, correu atrás das gatas, chegou a levar arranhão da Rita Lee. Mordeu canelas de pessoas que eu não gostava (e eu adorei muito isso) e também mordeu canelas inocentes. Tinha o olhar doce e um jeitinho lindo de correr e se jogar na almofada. 
Peguei a Capitu da rua quando eu tinha uns 18/19 anos mais ou menos, estava na faculdade e morava com meus pais ainda. Lembro que o velho me apoiou às escondidas da minha mãe, como fez quando escondemos uma gata prenhe no quartinho de ferramentas. Desde então, mudei de casa umas 4 vezes e nunca me separei dela. 
Nos últimos meses, a idade avançada e a doença (hiperadrenocorticismo), fizeram com que seus rins parassem de funcionar e ela teve dias muito difíceis. Com a ajuda da Carla, meu amor, fiz tudo o que poderia de melhor pra deixá-la o mais confortável possível, sem forçar a barra. Cozinhamos todas as coisas mais gostosas do mundo pra cachorro, principalmente a Carla e a Helena (minha irmã), que entendem do que eles gostam, demos absolutamente tudo que ela poderia querer comer. E demos muito amor e cama quentinha. 
Mas ontem ela se foi, aos 16 anos (aproximadamente). E vou contar que doeu muito perder essa criaturinha. Uma dor que chega a ser física até. Parece que foi embora junto um pedaço de mim. Mas na verdade ela só somou coisas boas na minha vida. Sempre vou amá-la, minha gorda. Já estou morta de saudade.


2 comentários:

  1. Sei bem como dói! Fica bem e a saudade fica sempre.Eles tomam conta das nossas casas e coração! bj,chica

    ResponderExcluir
  2. Então... mais uma estrelinha ao lado de São Francisco ! Que bom que esta menina teve a sorte de te encontrar e fazer parte desta família tão especial e amorosa. Meu mais carinhoso e fraterno abraço a você; pessoa a quem admiro por seu empenho à causa animal. O que vai permanecer é todo o amor que Capitú trocou com vocês. Porque, além do amor, nada importa ou permanece.

    ResponderExcluir