segunda-feira, 27 de julho de 2015

ervilhas com ovos escalfados e curry

Muito tempo atrás, logo que comecei este blog, postei aqui esta receita, que sempre foi um prato muito presente desde a minha infância. A diferença é que a D. Rosita usava nele pedacinhos de bacon ou chouriço. E ela usava páprica apenas, nada de curry.
Depois disso, minha irmã modificou, incorporando o curry e retirando a páprica (acho que ela não usa o bacon também).
Eu sei que mexendo e remexendo nesse blog percebi uma coisa bacana, quanto mais a gente cozinha, melhor o resultado vai ficando. Nesse tempo de blog mudei algumas coisas em mim mesma e notei que o blog também mudou. Ele foi ficando com mais personalidade e as receitas, passaram a ter um toque pessoal, outras foram totalmente adaptadas ou modificadas e ficaram com a minha cara. As fotografias e a escrita também melhoraram. Claro que foi uma pequena evolução e o caminho a ser percorrido é longo, ainda quero aprender um milhão de coisas!
Por essas e outras, percebo que nada como praticar muito, só assim você pode criar receitas e colocar sua própria identidade na comida. A faculdade de Gastronomia te dá uma boa base de técnicas e conhecimento teórico que é ótimo, mas cozinhar precisa de um toque a mais: amor pra dar. 

Bom, aqui vamos nós, com a receita das ervilhas com ovos escalfados (a melhor técnica de cozimento de ovos na minha opinião) levemente melhorada:

Ingredientes:

-300 gr de ervilhas frescas congeladas 
-1 punhado de ervilhas tortas (opcional)
-2 tomates concassé* ou 2 tomates pelados em cubos
-1 cebola média
-2 dentes de alho
-curry e páprica a gosto
-4 ovos
-salsa picada
-água fervendo
-sal

Sue a cebola e o alho em um fio de azeite. Acrescente os tomates e depois as ervilhas (descongeladas e lavadas). Cubra com água fervendo, adicione o curry e os outros temperos a gosto e deixe ferver até as ervilhas ficarem macias. Acrescente as ervilhas tortas na metade do cozimento. Se necessário vá adicionando mais água quente. Quando as ervilhas estiverem cozidas, faça covinhas com ajuda de uma colher e coloque os ovos com cuidado. Costumo quebrar um a um numa tigelinha e colocar sal e pimenta do reino moída na hora antes de colocar nas covinhas. Até porque se um desses ovos estiver estragado, você pode perder toda a preparação.  Espere cozinhar os ovos, salpique salsinha fresca por cima e desligue o fogo. Servir com arroz branco. Fica simples e delicioso.
Essa receita serve bem duas pessoas.




Obs: eu gosto de usar uma colher de chá cheia de curry e uma pitada de páprica picante. Mas se você achar muito curry, pode reduzir pela metade.

*tomate concassé: tomates sem pele e sem sementes cortados em cubos. Faça uma cruz na extremidade lisa do tomate. Mergulhe por um minuto em água fervendo e, depois mergulhe em água fria. A pele se soltará facilmente. Retire as sementes e corte em cubos.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

jabuticabeira

Enquanto ainda não tenho meu pedacinho de terra pra plantar tudo o que der na telha, os vasos do quintal me presenteiam com lindas flores e até frutos.




E mesmo plantada em um vaso, cada vez ela dá mais jabuticabinhas...❤ 

quarta-feira, 22 de julho de 2015

leite creme (doce português)

Sempre gostei de sobremesas molhadinhas, cremosas, leves e com um toque cítrico. Doces demasiado doces estão longe de serem os meus preferidos. E o leite creme é um doce português que minha mãe não fazia, mas eu comia às vezes na casa de minhas tias e, depois de crescida (não muito crescida) fui comer em um restaurante português de Sampa, quando a minha paixão por ele se concretizou. Ele é o meu doce preferido no mundo, talvez emparelhado com a boa e velha torta de limão (aquela receita tradicional com suspiro por cima, nada de marshmallow!).
Eu arriscaria dizer que o leite creme é o creme brullé dos portugueses. Inclusive ele costuma ser servido com a mesma crosta de açúcar caramelizado por cima, ou então, simplesmente canela polvilhada. E dos dois jeitos fica ótimo.
A diferença dele para o creme brullé é que ele é feito com leite, ao invés de creme de leite. Além disso, leva um toque de casca de limão, o que o deixa muito muito mais leve.
Pela minha pesquisa e pela minha lembrança gustativa, ele não leva fava de baunilha e, algumas receitas, colocam canela em pau pra aromatizar o leite. Mas, fiz a minha própria receita que é esta aqui:

Ingredientes

-500 ml de leite pasteurizado
-2 gemas de ovo caipira peneiradas
-4 colheres de sopa de açúcar cristal orgânico
-1,5 colher de sopa de amido de milho
-1/2 fava de baunilha
-cascas de limão siciliano (usei 3 a 4 tiras de casca)

Coloque em uma panela o leite, as cascas de limão e a fava de baunilha (cortada ao meio no sentido vertical para que se abra e saia o sabor). Deixe ferver um minuto e desligue. Descanse esse leite com a fava e as cascas de limão por 15 minutos para que fique aromatizado. Enquanto isso, coloque as gemas na peneira e deixe que elas escorram sozinhas, ficando na peneira só a pele que recobre a gema. Retire uma concha do leite (que já deve estar morno) para um recipiente, acrescente as gemas peneiradas e o amido de milho, misturando bem com um pequeno fouet para não empelotar e, só então, coloque essa parte do leite com as gemas e o amido de volta na panela. Por fim coloque o açúcar e leve ao fogo até formar um creme que começa a querer desprender-se do fundo da panela. 
Feito o creme, você deve retirar as cascas de limão, a baunilha e colocá-lo em pequenos refratários ou num pirex. Leve à geladeira por pelo menos duas horas e sirva com canela por cima ou polvilhe açúcar cristal e use um maçarico para "queimar" esse açúcar. Rende 4 porções.

Obs:

-Caso faça esta sobremesa para 4 pessoas, sugiro dobrar a receita, é tão gostoso e leve que cada pessoa pode querer comer dois ;)

-As claras podem ser guardadas em pote bem fechado por até 7 dias em geladeira e usadas para outra receita.





Ganhei um maçarico no meu último aniversário e já testei toda feliz! 

terça-feira, 21 de julho de 2015

bolo gelado de tangerina com coco

Sendo tempo de tangerinas, ganhei um saco cheio delas e não sabia muito bem o que fazer. Como são meio azedas para comermos assim puras, resolvi que faria suco e usaria esse suco em receitas. Esse bolo, tradicionalmente é feito com suco de laranja. 

Nesses seis primeiros meses de faculdade, aprendi algumas coisinhas sobre bolo. Geralmente os fermentos químicos são um preparado à base de bicarbonato de sódio com algum ingrediente ácido. Desse modo, se você não tiver fermento,  pode fazer o bolo com bicarbonato de sódio e usar junto um elemento ácido, como por exemplo, suco de tangerina. Isso explica porque minha mãe dizia que antigamente não havia fermento químico e os bolos eram feitos com bicarbonato de sódio.

Outra coisa para que seu bolo cresça e fique bem fofinho é: incorpore ar na massa! Para incorporar ar, você deve peneirar os farináceos e bater as claras em neve incorporando-as delicadamente à massa no final.  Depois de colocar as claras em neve, não se deve bater a massa com força, só misturar levemente.

Agora, tendo essas explicações acima, não me perguntem como, mas esse bolo tem uma ordem de preparo muito doida e , mesmo assim, dá bem certo. É uma receita antiga do caderno da minha mãe (mudei apenas o suco). Vamos à receita!

Ingredientes:

-4 ovos
-2 xícaras de chá de açúcar
-2 xícaras de chá de farinha de trigo 
-1 xícara de chá de suco de tangerina (ou laranja)
-1 colher de sopa de fermento químico

Calda:

-200 ml de leite de coco
-1/2 litro de leite (ou leite vegetal de sua preferência)
-coco ralado para cobertura (opcional)

Modo de fazer:

Bater as claras em neve (sim, isto você fará primeiro!), acrescentar o açúcar e continuar batendo até o ponto de suspiro. Juntar os demais ingredientes. Costumo colocar as gemas, depois a farinha (não esqueça de peneirar!), aos poucos o suco e, por fim, o fermento. Assar em forno médio, pré aquecido, por aproximadamente 30 a 40 minutos. Espete um palito ou toque com o dedo, caso tenha a prática de verificar a textura da massa pelo toque.

Depois de esfriar, faça furinhos no bolo com um palito ou garfo de dentes finos, misture o leite de coco com o leite e despeje sobre o bolo em todo seu comprimento. Quando a calda tiver penetrado totalmente no bolo, coloque coco ralado por cima e leve à geladeira para gelar. 

Obs: 

-Se você gostar de um sabor cítrico mais acentuado, acrescente à massa raspas da casca da tangerina (ou laranja). Fica delicioso e contrasta com a calda de coco.

-Caso saiba fazer leite de coco caseiro, melhor ainda. Você pode usar só o leite de coco caseiro para molhar o bolo e não usar o leite de vaca.

-Adoce levemente a calda com um pouco de melado de cana ou açúcar demerara se achar necessário.