sexta-feira, 21 de agosto de 2015

talharim de abobrinha com pesto de manjericão na cestinha de massa filo

Hoje vim falar de uma receitinha muito fácil e leve, ideal para servir como entrada ou como uma dessas comidinhas pra comer em festinhas, que são chamadas pelos chefs de finger food. A ideia é comer com as mãos, sem necessidade de talher.

As quantidades a seguir são para 12 cestinhas do tamanho de forminhas de empada.

300 gramas de massa filo congelada é suficiente e ainda sobra pra fazer outras coisinhas (ou o dobro de cestinhas).

Primeiro, unte as formas de empada e forre-as com 3 a 4 camadas de massa filo, pincelando manteiga entre elas. Siga corretamente as instruções da embalagem para que sua massa não resseque. Para que as cestinhas fiquem com esse formato cheio de pontas irregulares, você deve cortar a massa em quadradinhos e sobrepô-los de modo que as pontas dos quadrados se alternem.

Asse em forno médio até que fiquem levemente douradas e crocantes.

Ingredientes para o talharim:

- 1 abobrinha média 
- 1 dente de alho
- 1/3 de xícara de azeite
- 1 xícara de manjericão picado
- 1 colher de sopa de castanha de cajú grosseiramente picada
- sal e pimenta do reino a gosto
- cubos de queijo de ovelha ou cabra (opcional)

Corte a abobrinha em lâminas bem finas com um cortador de legumes e depois faça cortes de meio centímetro acompanhando o comprimento da abobrinha (como o corte do macarrão talharim). 
Em uma panela anti aderente, sue rapidamente o alho com o azeite, acrescente o manjericão, as castanhas de caju e misture bem. Coloque a abobrinha e misture delicadamente para que o pesto envolva a abobrinha. Tempere com sal e pimenta a gosto, espere secar a água que a abobrinha irá soltar e, se desejar, incorpore cubinhos bem pequenos de queijo de ovelha ou cabra (fica incrível!).
Incorporado o queijo, desligue o fogo e sirva nas cestinhas.
Dica: enrole a abobrinha no garfo como um spaguetti e então coloque os rolinhos nas cestinhas, fica bem bonito. E quanto maior o comprimento da sua abobrinha, melhor.



Alias, estou apaixonada por massa filo, é possível fazer coisas deliciosas e super bonitas com ela.

Ps. desculpem a foto não ter qualidade tão boa, estava recebendo amigas e acabei tirando só com o celular mesmo ;)

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

biscoitos de limão siciliano e amêndoas (sem glúten)

Essa é uma nova receita que acabo de criar, sem glúten e com farinha de banana verde, que é uma farinha rica em um tipo de fibra muito benéfica  para o intestino e que auxilia na absorção de vitaminas entre outras coisinhas.

O melhor de tudo é que esse biscoito fica uma delícia, super crocante e com um sabor e aroma incrível de limão siciliano.

Para fazer este biscoito você irá precisar de:

-150 g de farinha de banana verde
- 75 g de amido de milho
- 75 g de açúcar mascavo
- 1/2 xícara de amêndoas (aproximadamente)
- 1 colher de chá de fermento químico
- 1 pitada de sal
- 40 ml de manteiga derretida
- 100 ml de leite de amêndoas
- raspas da casca de 1 limão siciliano

Unte duas assadeiras com manteiga e reserve. Peneire e misture todos os ingredientes secos mais a casca de limão em um recipiente. Em seguida acrescente a manteiga derretida, o leite de amêndoas (aos poucos) e vá amassando com as mãos. Quando a massa estiver quase homogênea, acrescente as amêndoas e amasse mais um pouco até que a massa fique totalmente homogênea.  Faça bolinhas e achate-as com as mãos, faça desenhos se desejar, dispondo os biscoitos na assadeira com intervalos de um dedo entre eles. Asse em forno pré aquecido - 200ºC - por 30 minutos. Prove antes de desligar para ver se está totalmente assado. Coloque as assadeiras em cima de uma mesa e deixe que os biscoitos sequem sem cobri-los e que esfriem totalmente antes de guardar. Coloque em pote bem tampado e seco. Rende aproximadamente 28 biscoitos.

Considerações:

Para transcrever as quantidades em gramas, desta receita, usei copos e colheres medidoras. Exceto no caso das amêndoas, que só seria possível quantificar em gramas com o uso de uma balança (espero ter uma em breve).

O leite de amêndoas pode ser substituído por outro leite vegetal.

Caso não queira usar manteiga derretida, você pode usar algum óleo de sua escolha, se fizer o teste, me conta!            

No lugar de amêndoas você também pode usar castanha do Brasil ou outra de sua preferência.    

Nas fotos abaixo, a diferença da cor dos biscoitos é poque um deles foi feito com açúcar orgânico claro e ou outro com escuro (e ainda coloquei um pouco de rapadura raladinha).            




terça-feira, 11 de agosto de 2015

lulas guisadas com batatas

Olá,

Aqui estou com mais uma receita da minha infância, uma comidinha aconchegante, leve e muito saborosa, principalmente, se você gosta de lulas. Fiquei muito tempo sendo ovolactovegetariana e minha alimentação ainda é 90 % vegetariana, mas, voltei a comer alguns peixes e frutos do mar de vez em quando. Simplesmente porque não resisti. 

Há cerca de dois anos, me lembrei desse prato com saudade e resolvi tentar puxar pela memória da D. Rosita. E não é que deu certo? Ela me contou os ingredientes e o sabor ficou muito bom, idêntico ao prato que ela fazia.

A única diferença aqui é que usei algumas técnicas como o fundo de peixe e o tomate concassé (tomate sem pele e sem semente cortado em cubos).

Ingredientes:

- 1/2 kg de lulas inteiras *
- 2 tomates maduros cortados em concassé
- 1 cebola média cortada em cubos pequenos
- 1 pimentão verde pequeno cortado em cubos
- 1 colher de sopa de azeite
- 1/2 duzia de batatas pequeninas sem casca e cortadas ao meio
- sal e pimenta do reino a gosto
- galhos de salsa e tomilho limão frescos
- 1 folha de louro
- 1/2 litro de fundo de peixe (ver post anterior)

* se você souber limpar as lulas em casa, prefira isso, pois você deve limpar e lavá-las muito bem em água fria e corrente antes de cortar em anéis. Caso não saiba limpar, compre-as limpas e inteiras, lave-as bem e depois corte em anéis. Use as pernas da lula, não desperdice nada, elas ficam incríveis nesse prato.

Caso não tenha feito o fundo de peixe, utilize água mesmo, nada desses industrializados em cubinhos, o sabor é terrível. 

Cozinhe as batatas em água e pouco sal, escorra e reserve. Cuide para que elas fiquem "al dente" e não desmanchem.

Sue com um fio de azeite, a cebola, o pimentão e na sequência os tomates concassé. Acrescente as lulas em anéis, tempere com sal, pimenta do reino, deixe que elas refoguem um pouco até ficarem esbranquiçadas (5 minutos são suficientes).

Adicione o fundo de peixe e as ervas, quando levantar fervura, adicione as batatas, conte mais dez minutos e desligue. Lembre-se que os frutos do mar não devem cozinhar demais, senão ficarão "borrachudos".




Essa deliciosa receita serve 2 pessoas comilonas 

fundo de peixe (base para outras receitas)

Ele é uma base de muitos pratos. Pode ser de carne, de legumes, de aves e de peixe. Muita gente chama de "caldo de peixe" por causa daqueles caldos industrializados que vendem em cubinhos. Céus, aquilo deveria ser abolido da face da terra!

Vale muito a pena fazer um bom fundo e deixar congelado em porções, ele irá fazer toda diferença em suas comidinhas, acredite. 

Para fazer um bom fundo de peixe você irá precisar:

- 700 g de carcaça de peixe (você pode pedir uma na feira)
- 50 g de cebola, 25 g de cenoura, 25 g de salsão (essa combinação se chama Mirepoix e é considerada um aromático usado em vários fundos)
- 1 colher de sopa de azeite
- 2 a 2,5 litros de água fria 
- 1 bouquet garni - faça um bouquet com folha de louro, ramos de salsa, alho poró, tomilho e salsão e amarre com barbante 

Lave bem a carcaça de peixe em água fria corrente e reserve.
Numa panela funda, sue a cebola, o salsão, o alho poró e a carcaça de peixe com o azeite. Acrescente a água e o bouquet garni. Leve ao fogo.
Nesse dia, eu não amarrei o meu bouquet, simplesmente coloquei as ervas direto na panela. E coloquei um pouco de pimenta rosa. Isso também pode,  já que você irá coar tudo no final. 
Deixe ferver por 45 minutos em fogo muito baixo, de modo que forme apenas leve ondulação na superfície da água, escumando as impurezas da superfície de vez em quando. Coe e utilize ou congele em porções.
Utilize em risotos, sopas, ensopados, etc.




Este é o meu fundo de peixe. Mas você pode criar o seu próprio usando outras ervas, cominho em grãos, alho poró no lugar da cenoura (se quiser que ele fique um fundo mais claro) ou o que a sua imaginação mandar.

Você também pode deixar um pouco mais de tempo. Eu resolvi deixar o meu por 1 a 1:15 h. Pois a minha carcaça de salmão, estava com bastante carne e eu queria que tudo aquilo fosse bem aproveitado. Humm o aroma que se espalha pela casa é delicioso!